Como Morreu BÁRBARA HELIODORA

COMO MORREU
BÁRBARA HELIODORA

Nome completo: Heliodora Carneiro de Mendonça

Nacionalidade: Brasileira

Nascimento: 29 de Agosto de 1923

Morreu em: 10 de Abril de 2015

Idade: 91 anos

Profissão: Crítica teatral/Tradutora/Jornalista

Lugar da morte: Hospital Samaritano, na Zona Sul do Rio de Janeiro, Brasil

Causa da morte:

“PARADA CARDIORRESPIRATÓRIA”

Como faleceu BÁRBARA HELIODORA: A crítica teatral estava internada desde 23 de março de 2015, com suspeita de pneumonia e veio a falecer, devido a uma parada cardiorrespiratória.

Ela era considerada a maior especialista da obra de William Shakespeare no Brasil. A paixão pelo escritor inglês começou na infância, aos 12 anos, após ganhar da mãe o primeiro volume das obras completas do dramaturgo. Ela costumava dizer que Shakespeare foi um grande amigo ao longo dos anos.

Bárbara estudou e se formou nos anos 40 em literatura inglesa no Connecticut College , nos Estados Unidos. Embora nunca tenha desejado atuar, subiu ao palco algumas vezes. A primeira delas em 1948, no papel de Rainha Gertrudes, em Hamlet. Em 1957 começou a escrever críticas, no jornal “Tribuna da Imprensa”, de Carlos Lacerda. Em 1958, passou a colaborar com o “Jornal do Brasil”. A convite de Castelo Branco dirigiu o Serviço Nacional de Teatro, de 1964 a 1967. Rigorosa, dizia que “a crítica condescendente é um engano”. Se o espetáculo lhe desagradasse, não disfarçava suas impressões. Temida por diretores e atores, chegou a ser barrada na porta de teatros.

Heliodora também fez a direção, adaptação e tradução de diversas obras. Um de seus maiores desafios foi a tradução de mais de 30 peças de Shakespeare para o português. Em entrevista, ela contou que fez a tradução, ao longo de 30 anos. A mãe dela já tinha feito a tradução de “Hamlet” e “Ricardo III”.

Ao longo da carreira, ela escreveu seis livros. O primeiro em 1975, a partir da sua tese de doutorado na Universidade de São Paulo (USP): “A Expressão Dramática do Homem Político em Shakespeare”.

Em uma das suas últimas entrevistas, Bárbara disse o que pensava sobre a contribuição do teatro: “- O teatro é um documentário perfeito da história do ocidente. Você lendo as peças vai acompanhar o desenvolvimento do ocidente exatamente. Os autores teatrais acabam refletindo exatamente toda a história.

Ela deixou três filhas e quatro netos.

Foi velada e cremada no Memorial do Carmo, no Cemitério do Caju, no Rio de Janeiro, Brasil.

 

SAIBA COMO ELES MORRERAM

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *