COMO MORREU CERVANTES

COMO MORREU CERVANTES

Nome completo: Miguel de Cervantes.
Nacionalidade: Espanhol.
Nascimento: 29 de Setembro de 1547.
Morreu em: 22 de Abril de 1616.
Idade: 68 anos.
Profissão: Romancista, Soldado, Poeta, Dramaturgo, Contador.
Lugar da morte: Na casa Cervantes, Madri (Espanha).

Causa de morte:
“DIABETES”

Como morreu CERVANTES: Faleceu aos 68 nos em Madri por causa da diabetes na famosa Casa de Cervantes no bairro das Musas.

Cervantes pediu para ser enterradao no mesmo bairro precisamente na igreja do Convento das Trinitárias Descalzas, já que quando foi detido em Argel, a congregação dos trinitários lhe ajudou.

Eles fizeram de intermediários e juntaram dinheiro para que ele e seu irmão Rodrigo que foram deixados em liberdade.

O mesmo convento foi construído em diferentes etapas. Quando Cervantes foi enterrado ali e tinha somente uma capelinha pequena, mas depois foi edificada uma igreja maior no mesmo lugar e se transferiram para este novo templo, as pessoas que estavam enterrada no interior.

O corpo de Cervantes também havia sido transferido, mas se desconhecia o lugar exato em que se encontrava.

Em julho de 2011, uns investigadores espanhóis se propuseram encontrar os restos mortais de Cervantes explorando todo o convento, de mais de 3000 metros quadrados para determinar com mais presição seu aspecto físico e as causas de sua morte.

Em 24 de janeiro de 2015, o perita forense Francisco Etxeberria afirmou haver encontrado o caixão com as inciais “M.C”. O mesmo foi sujeito a um estudo para determinar com exatidão se os restos mortais eram do célebre escritor. Infelizmente, em pouco tempo se determinou que os ossos não correspondiam aos do escritor, já que pertenciam a pessoas de menos idade.

(como morreram outros Artistas Famosos)

Em 17 de março de 2015, especialistas anunciaram que graças às evidências das provas históricas, antropológicas e arqueológicas, se tem podido reduzir a localização dos restos mortais em uma concetração de ossos, deteriorados e fragmentados, correspondentes a dizessete pessoas onde possivelmente se encontrem os de Cervantes e de sua esposa.