COMO MORREU EVA PERON “EVITA”

COMO MORREU EVA PERÓN “EVITA”

Nome completo: María Eva Duarte de Perón.
Nacionalidade: Argentina.
Nascimento: 07 de Maio de 1919.
Morreu em: 26 de Julho de 1952.
Idade: 33 anos.
Profissão: Atriz, Política.
Lugar da morte: No Palácio Unzué, Bunos Aires (Argentina).

Causa de morte:
“CÂNCER CERVICAL”

Como morreu EVA PERON: Evita padeceu de um câncer de colo uterino. A primeira manifestação pública da dita doença foi em 09 de janeiro de 1950 quando desmaiou no ato fundamental do Sindicato dos Taxistas.

No início de 1951 novamente se desvanece na Fundação Eva Perón, pelo que se decidiu transferir seu escritório para residência presidencial localizada onde hoje se encontra a Biblioteca Nacional.

Com o avanço do câncer, Evita se debilitava cada vez mais continuava participando dos atos públicos. Em 17 de outubro de 1951 pronunciou o discurso que tinha sido considerado como seu testamento político onde mencionava nove vezes sua própria morte.

Em 05 de novembro 1951 foi operada pelo médico oncologista americano, George Pack no Hospital de Avellaneda, onde seis dias depois voltou ali em sua própria cama para as eleições onde Perón foi reeleito. Hoje em dia a dita sala foi convertida em Museu.

Foi submetida a radioterapia em várias oportunidades e existe evidências de que antes de falecer ela fez uma lobotomia pré-frontal neurocirúrgica em Buenos Aires, como parte do tratamento contra a dor, a ansiedade e a agitação derivados do câncer.

Em 18 de julho de 1952, pela primeira vez entrou em estado de coma e em 26 de julho de 1952, Eva Perón falece. O atestado de óbito indica que foi às 20:25.

(como morreram outros Politicos Famosos)

Seu corpo foi embalsamado e exposto na CGT. Paralelamente o governo começou as obras do Monumento ao Descamisado, cuja ideia havia sido da própria Evita, e que segundo um novo plano seria seu túmulo definitivo.
Quando a ditadura militar derrocou e Perón em 23 de setembro de 1955, seu cadáver foi sequestrado e desaparecido durante 14 anos.

Finalmente Evita foi sepultada na abóboda familiar dentro do Cemitério da Recoleta de Buenos Aires, onde se encontra desde então até o dia de hoje visitado por milhares de pessoas anualmente.