MARILYN MONROE

COMO MORREU MARILYN MONROE

Nome completo: Norma Jean Baker Mortenson.
Nacionalidade: Americana.
Nascimento: 01 de Junho de 1926.
Morreu em: 05 de Agosto de 1962.
Idade: 36 anos.
Profissão: Atriz, Cantora, Modelo, Produtora.
Lugar da morte: Em sua cama, na Mansão de LA. (Estados Unidos).

Causa de morte:
“ENVENENAMENTO POR OVERDOSE DE BARBITÚRICOS”

Como faleceu MARILYN MONROE: Em 05 de agosto de 1962 às 04:55 da madrugada a polícia recebeu a chamada do doutor Greenson psiquiatra de Marilyn Monroe, o qual anunciava que a atriz havia falecido. A polícia foi a primeira a chegar ao lugar e a autopsia revelou que havia sido por uma overdose de barbitúricos.

Entre várias versões, a mais ressonante afirma que Marilyn Monroe realmente foi assassinada por Robert Kennedy, o irmão do presidente dos Estados Unidos John F. Kennedy. Segundo dita a versão, a ordem a deu Robert depois de que a atriz ameaçou revelar a todo mundo o romance que mantinha tanto com ele e com seu irmão, nesse momento Presidente dos Estados Unidos, em uma conferência de imprensa.

Robert temeu pelo que venderia e que isto pudesse acabar com a carreira política, a família e a reputação de seu irmão presidente, por isso ordenou ao psiquiatra de Marilyn, Ralph Greenson que lhe administrasse uma injeção letal antes de administrar um plano para fazer acreditar que havia sido um suicídio.

Segundo os médicos de Emergência de Los Angeles, Marilyn tinha uma costela quebrada, resultado desajeitado do médico que não soube lhe aplicar bem a injeção letal.

A relação amorosa entre Marilyn e Robert surgiu no momento em que este interceptou para terminar com a perseguição telefônica que a atriz o chantageava a seu irmão, e por isso no momento o presidente JFK.
Porém, depois de dois dias de discussões na casa de um empresário com suposto vínculo com a máfia, ambos começaram um novo romance. A partir desse momento, a obsessão de Marilyn se transferiu desde o maior dos Kennedy a quem era fiscal geral da Nação.

A decisão de “eliminar” Marilyn de Robert foi tomada depois de uma suposta discussão que ambos mantiveram na casa que a atriz tinha em Los Angeles. Ali, a mulher, em um ataque de histeria havia tentado esfaquear o funcionário do governo, mas foi controlada pela escolta presidencial.
Presume-se que tentaram armar um cenário de consumo de drogas, mas não resultou. Por isso, chamaram a Greenson para que se ocupasse de preparar a cena que daria origem a crença de que Marilyn havia sido morta por causa de seus excessos.

Mas a atuação de Greenson foi absurda, segundo contam extraiu um líquido de uma garrafa que tinha uma tampa de borracha e encheu a seringa. Buscou pelas costelas como um louco e injetou no peito dela. Mas não o fez bem já que ficou cravada no osso, em uma costela. Em vez de tentar novamente, empurrou muito forte até que agulha transpassou a costela.
Bastante suspeitoso que esta negligencia na cena da morte de Marilyn não apareça na autopsia oficial.

Uma testemunha chave em 1985, ex-empregada contava (sem saber que estava sendo gravada) que quando chegaram os serviços de emergência de Los Angeles, seu patroa estava ainda com vida.
Seus restos mortais se encontra no Cemitério Westwood Village Memorial Park, Los Angeles, Califórnia, Estados Unidos.